Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

Seguidores

segunda-feira, 2 de novembro de 2020

EM MEMÓRIA DAQUELES QUE AMÁMOS E JÁ PARTIRAM


 

DIA DE FINADOS


Passam tristes em romagem piedosa

Levam nos ramos as mais belas flores

Veste-se a natureza de sombrias cores

Pois também ela está triste e chorosa.

E eu vou nesta romagem atormentada

Que já morreram todos os meus amores

Hoje carrego a saudade e as dores

Sepultadas na minha alma amargurada

Curvada, ante mim própria sou a campa

A minha ilusão de viver era tanta

Que um dia a própria vida a matou.

Agora em cada dia de finados

Levo aos meus sonhos, mortos e chorados

Pétalas de uma flor que já murchou.

 


17 comentários:

chica disse...

Homenagem linda aos que já partiram...beijos, chica

" R y k @ r d o " disse...

Simplesmente BRILHANTE, poeticamente falando.
.
Cumprimentos
Feliz inicio de semana

Roselia Bezerra disse...

Boa tarde de paz, querida amiga Elvira!
A vontade de viver infinitamente é muita quando se ama a vida, mas somos finitos e um dia nos uniremos aos que nos precederam.
Tenha uma nova semana abençoada!
Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

Os olhares da Gracinha! disse...

Bela a mensagem num dia tão especial em nosso viver!!! Bj

MARILENE disse...

Uma beleza de versos. Todos carregamos a saudade e hoje nos lembramos dos entes queridos que não mais estão conosco. Não gosto da data rss. Uma linda semana para você. Bjs.

Nal Pontes disse...

Um dia que não se pode esquecer nossos queridos que já partiram. Bela e saudosa poesia. Bjs querida

Isamar disse...

Olá Elvira,
Espero que continue a estar tudo bem por aí.
Triste poema, mas belo de tão verdadeiro!
Beijinho

Smareis disse...

Uma linda homenagem aos que já partiram Elvira.
Esse dia me traz de volta dores ainda recente.
Uma boa semana, e um excelente mês de novembro.
Beijos!

Majo Dutra disse...

Fiquei sem saber de quem é o poema, porque não está assinado!
O eu poético define-se como já não tendo amores vivos, felizmente não é o caso da Elvira...
Diz-se que ''até os mortos ficaram confinados''...
A verdade é que se a rudeza fosse menor, não teríamos chegado ao ponto que chegámos...
Retribuindo cumprimentos do Refúgio, também lhe desejo saúde e tudo pelo melhor.
Abraço
~~~

Majo Dutra disse...

~~~
Parabéns, Elvira. É muito expressivo, sentido e lindo.
Abraço e saúde.
~~~~~~~

lua singular disse...


Oi Elvira,
Que maravilha triste!
Já perdi as contas de quanto já perdi.
Vendi minha casa numa metrópole e voltei pro meu Rincão, novamente o amor brotou, mas a dor da carne me atormenta. Aí já não é comigo e com o Pai.
Beijos no coração
Lua Singular

manuela barroso disse...

Um dia triste , Elvira
Mas mesmo com essas ausências , a poesia fez - se uma luz entre o mármore
Muito bela, parabéns
Beijinho

Pedro Luso disse...

Olá, Elvira, gostei muito desse delicado e sentido poema. Merecida homenagem dos entes queridos que nos deixaram.
Uma boa semana com os cuidados com a saúde.
Um abraço.

Olinda Melo disse...


Olá, Elvira

Poema que expressa bem a saudade e dor
pelos entes queridos que já partiram.

Beijo
Olinda

Alice Alquimia disse...

Uma lembrança justa.

O meu pensamento viaja disse...

Bonito! Bom fim de semana.

Maria Rodrigues disse...

Palavras tão sentidas e tão lindas.
Um poema sublime.
Beijinhos