Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

Seguidores

sexta-feira, 8 de janeiro de 2021

ODETE COSTA SEMEDO



As minhas lágrimas



As lágrimas 
escapuliram 
esboçaram 
no chão do meu rosto
um fio de mágoa profunda 
queimando 
bem fundo

Nenhum grito...
nenhum gemido... 
palavra nenhuma
letra alguma
jamais traduziu 
tanto sofrer 
os olhos sentiram 
a minha gente viu
E eu?
E eu?


- Odete Semedo, no livro "No fundo do canto". Belo Horizonte: Nandyala, 2007.


Biografia AQUI

13 comentários:

chica disse...

Intensa e linda poesia!@ Bela escolha,Elvira! beijos, ótimo dia! chica

" R y k @ r d o " disse...


Poema lindíssimo que amei ler.
.
Cumprimentos poéticos.

Fê blue bird disse...

Quantas vezes já gastamos as palavras, só ficam as lágrimas.

Muito bonito e sentido.

Obrigada Elvira por nos dar a conhecer poetas desconhecidas.

Os olhares da Gracinha! disse...

Bem pertinente a sua escolha e eu gosto!
Bj Elvira

MARILENE disse...

Versos tão sentidos que nos fazem entrar na dor descrita pela autora. As lágrimas falam e nem pedem palavras. Uma linda escolha! Bjs.

Tais Luso de Carvalho disse...

Que lindo, e depois delas rolarem, o que fazemos?
Quase sempre nada!
Não saio daqui sem antes pensar...
Beijo, Elvira.

Olinda Melo disse...


Odete Semedo uma Poetisa guineense que muito aprecio.
Gostei muito de encontrar aqui e de reler este seu
poema, prenhe das dores dela e do seu povo.

Belo serviço de divulgação
da Poesia, aqui.

BOM ANO, cara Elvira.

Beijo
Olinda

Isamar disse...

Palavras sentidas numa tristeza imensa.
Não conheço a poetisa, obrigada por nos continuar a dar a conhecer estas talentos.
Elvira, que o novo ano seja repleto de saúde, alegria e muita paz.
Beijinhos

lua singular disse...

Oi Elvira
Escolheu uma linda mas triste poesia.
Adorei
Beijoss
Lua Singular

CÉU disse...

Olá, estimada Elvira!

Espero que se encontrem todos bem de saúde e que as Festas tenham decorrido com relativa normalidade.
Eu estou bem e já dando aulas.

Não conhecia esta escritora africana, guineense, mais propriamente mas fui ler a Biografia dela, que é rica e diversificada.

O poema é triste, mas dá para entender que as lágrimas dela foram manifestações de acontecimentos tristes que ela sentiu e a família também.

Beijos, saúde e um BOM ANO NOVO.

Cidália Ferreira disse...

Muito bem! Adorei :))
~~
Tapetes alvos em campos de bonança
~~
Beijos, e boa noite

lua singular disse...

Oi Elvira
Que bela poesia
Beijos
Lua Singular

São disse...

Parabéns pelo trabalho de divulgação.

Beijinho de bom final de semana