Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

Seguidores

terça-feira, 11 de agosto de 2020

MARIA DO ROSÁRIO PEDREIRA


GUARDA TU AGORA O QUE EU, SUBITAMENTE , PERDI


 Guarda tu agora o que eu, subitamente, perdi

talvez para sempre ― a casa e o cheiro dos livros,

a suave respiração do tempo, palavras, a verdade,
camas desfeitas algures pela manhã,
o abrigo de um corpo agitado no seu sono.

Guarda-o
serenamente e sem pressa, como eu nunca soube.

E protege-o de todos os invernos ― dos caminhos
de lama e das vozes mais frias. Afaga-lhe
as feridas devagar, com as mãos e os lábios,
para que jamais sangrem. E ouve, de noite,
a sua respiração cálida e ofegante
no compasso dos sonhos, que é onde esconde
os mais escondidos medos e anseios.

Não deixes nunca que se ouça sozinho no que diz
antes de adormecer. E depois aguarda que,

na escuridão do quarto, seja ele a abraçar-te,
ainda que não te tenha revelado uma só vez o que queria.

Acorda mais cedo e demora-te a olhá-lo à luz azul
que os dias trazem à casa quando são tranquilos.

E nada lhe peças de manhã ― as manhãs pertencem-lhe;
deixa-o a regar os vasos na varanda e sai,
atravessa a rua enquanto ainda houver sol.

E assim
haverá sempre sol e para sempre o terás,
como para sempre o terei perdido eu, subitamente,
por assim não ter feito.

 

Mª do Rosário Pedreira

in A casa e o cheiro dos livros (Quetzal, 1996)

in Poesia reunida (Quetzal, 2012


Biografia  AQUI

9 comentários:

Roselia Bezerra disse...

No compasso dos sonhos, medos e anseios...

Boa noite de serenidade, querida amiga Elvira!
Você é seleta nos poemas aqui postados. Excelente!
Tenha dias abençoados!
Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

Toninho disse...

Assim como um ritual.
A vida e o amor com suas peculiaridades.
Abraços amiga na feliz semana.

Ailime disse...

Boa tarde Elvira,
Um poema tão belo, que respira amor por todos os poros.
Obrigada por ter partilhado esta Poetisa, de que já tinha ouvido falar.
Beijinhos,
Ailime

São disse...

Bom lembrar....

Beijinho e tudo de muito agradável, amiga

lua singular disse...

Oi Elvira
Um lindo e culto poema
Adoro ler poemas
Gostei demais
Beijos no coração
Lua Singular

Ana Tapadas disse...

É um poema muito belo. Alma feminina a nu...



Espero que recupere a sua visão, pois sei na primeira pessoa como é doloroso vê-la diminuída.
A minha cirurgia foi no tempo certo, não sendo um problema muito complicado, e isso ajudou. Julgo que terei alta no dia 25.
Desejo-lhe tudo de bom.

Beijinho grande.

Nal Pontes disse...

Belo poema. Bem reflextivo. Parabéns por compartilhar.Bjs querida

Cidália Ferreira disse...

Adorei a publicação! :)
*
Ainda em modo de férias, passo numa breve visita a fim de desejar um excelente fim de semana.
Dias diferentes que nos encher a alma. 2º Dia.

Beijos

Os olhares da Gracinha! disse...

Gosto do poema! Bj