Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

Seguidores

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

COM AS MINHAS PALAVRAS

  

 COM AS MINHAS PALAVRAS


Com as minhas palavras invento o Sonho
terá alma o Sonho?
Saberá dos milhares de crianças chorando
a fome
revoltados
pelo vento que arranca impiedoso
os frutos ainda verdes?

Com as minhas palavras invento a Vida
terá alma a Vida?
Saberá do silêncio dos que nascem
vivem
e morrem
no desespero da solidão?

Com as minhas palavras invento a Liberdade
terá alma a liberdade?
Saberá dos milhares de homens vivendo
dia após dia
hora após hora
a esmagar a raiva que martelam na memória.

Com as minhas palavras invento o Amor
Terá alma o amor?
saberá da indiferença dos que dormem
lado a lado
frustrados
na rotina agonizante do dia-a-dia.

Elvira Carvalho



Sem tempo para pesquisar novas poetas, deixo-vos com uma reedição.

7 comentários:

Os olhares da Gracinha! disse...

Na poesia com as palavras...inventar é sinónimo de criatividade!!! Bj e gostei de ler

Erika Oliveira disse...

triste e intenso, ainda bem que há coisas boas na vida. otimo poema, muito bom.

HD disse...

Muito bonito!
Com as nossas palavras... podemos mudar o mundo :-)
Abraço

Donetzka Cercck L. Alvarez disse...

Maravilhoso seu poetar,amiga Elvira!

Só me encanto com você a cada dia e mais a admiro,amiga.

Obrigada pela visita no meu post onde divulguei o blog de nossa amiga Eliane Lacerda.

Volte e leia,por favor,pois precisei editar o que havia esquecido.

Agora ela já tem lista de seguidores.


Beijos sabor carinho e uma noite de quarta_feira abençoada


Donetzka

Majo Dutra disse...

Gostei do poema, que encerra uma mensagem filosófica...
Beijinhos, Amiga.
~~~~

Maria João Brito de Sousa disse...

E, também aqui, gostei muito do que construiu com as suas palavras, Elvira.


Renovo o meu abraço de há pouco.

Tais Luso disse...

Elvira, já li outros poemas seus e gosto imensamente da sua poesia, a sua maneira de dizer é forte, é objetiva, é tocante. Não há palavras desnecessárias.
Aplausos, amiga!
Beijo.