Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

Seguidores

domingo, 21 de janeiro de 2024

SOFIA PINTO CORREIA MELO - PERCORRER A CASA

 



PERCORRER A CASA



Percorrer casa a casa
nas sombras projectadas
pela água perto
ruínas
ruínas as casas todas
casas várias da infância
de recordações de infâncias que me precedem
telhado aberto para o céu
chuva no soalho
nem precisaria das imagens para recordar
só os sons, só os sons
e o aroma a abandono
sopro a poeira devagar enquanto ela paira na luz
que trespassa a parede
e vai bater na parede em frente

7 comentários:

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida amiga Elvira!
Tem certa casa que nunca vamos esquecer, a da nossa infância. Talvez a que foi construída para nos receber.
Bonito poema onde a frente do lar faz eco de todo o vivido dentro dela.
Tenha uma nova semana abençoada!
Beijinhos com carinho

chica disse...

Lindo e bem escolhido poema,Elvira!
Espero estejas bem ! beijos, chica e ótima semana!

Graça Pires disse...

Percorrer a casa onde ficaram as memórias da infância para recordar os lugares, os sons, os cheiros. Belíssimo poema.
Tudo de bom, minha Amiga Elvira.
Uma boa semana.
Um beijo.

Jovem Jornalista disse...

Bela poesia. Obrigado por compartilhar!

Boa semana!

O JOVEM JORNALISTA está no ar cheio de posts novos e novidades! Não deixe de conferir!

Jovem Jornalista
Instagram

Até mais, Emerson Garcia

Mariazita disse...

Não conheço a autora (irei pesquisar), mas gostei muito do poema, em que as recordações estão à flor da pele.

Amiga, perdoe a minha demora em retribuir a sua gentil visita, mas a verdade é que ainda não me sinto completamente bem, e não passo muito tempo no computador.
Entre fazer a terapia, o tempo de descanso (obrigatório), e as tarefas diárias... (mínimas, como pode calcular) pouco tempo sobra. Mas se Deus quiser tudo há-de voltar à normalidade em breve - assim espero!

Bom Fim de Semana.
Um abraço
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Lúcia Silva Poetisa do Sertão disse...

Belo poema! Apreciei a leitura dele!
Abraços!

Juvenal Nunes disse...

Percorrer a casa reflete a evocação do passado, pois fala de ruínas e abandono.
Os espaços das nossas vivências também deixam marcas em cada um.
Abraço de amizade.
Juvenal Nunes