Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

Seguidores

terça-feira, 24 de março de 2020

ALDA LARA



NOITE

Noites africanas langorosas,
esbatidas em luares...,
perdidas em mistérios...
Há cantos de tungurúluas pelos ares!...
....................................................
onde o barulhento frenesi das batucadas,
põe tremores nas folhas dos cajueiros...
......................................................
Noites africanas tenebrosas...,
povoadas de fantasmas e de medos,
povoadas das histórias de feiticeiros
que as amas-secas pretas,
contavam aos meninos brancos...

E os meninos brancos cresceram,
e  esqueceram
as histórias...

Por isso as noites são tristes...
Endoidadas, tenebrosas, langorosas,
mas tristes... como o rosto gretado,
e sulcado de rugas, das velhas pretas...
como o olhar cansado dos colonos,
como a solidão das terras enormes
mas desabitadas...

É que os meninos brancos...,
esqueceram as histórias,
com que as amas-secas pretas
os adormeciam,
nas longas noites africanas...

Os meninos-brancos... esqueceram!...


Alda Lara

Nota : Alda Lara é uma das minhas poetas de  eleição e já faz parte desta galeria AQUI podem ler uma pequena biografia.

20 comentários:

chica disse...

Emocionante e tocante essa linda poesia! Chega a arrepiar esse final! Belo conmpartilhamento,Elvira! beijos, chica

Toninho disse...

Que belíssima poesia Elvira nesta partilha.
Como diz a Chica, é de emocionar mesmo, posso ouvir os cantos,
os murmúrios deste povo esquecido e sofrido na historia. Recentemente
num desafio de Portugal, eu falei destes sons. Caso tenha tempo dê uma olhada aqui:
http://toninhobira.blogspot.com/2020/03/de-volta-ao-passado.html

Muito obrigado pela partilha, vou ler mais sobre ela.
Por aqui em recolhimento vamos nos cuidando sobre tensão,
que você esteja na mesma disciplina.
Carinhoso abraço amiga e grato sempre pela atenção.
Beijo no coração.

Gracita disse...

Olá Elvira
Versos que nos toca fundo o cora e faz aflorar a emoção
Um dia de serenidade e paz
Beijinhos

" R y k @ r d o " disse...

""" E os meninos brancos esqueceram ""

Esta frase emoldura muito bem todo o teor do poema. Factos vividos, passados, esquecidos, é assim a história de muito povo em geral, e em particular o povo africano, natural e residente em antigas colónias, como por exemplo, as de Portugal.

Gostei demias do poema. Lindo, lindo, lindo

Cumprimentos poéticos

Olinda Melo disse...


Olá, Elvira

Gosto muito da poesia de Alda Lara.
Este poema é dos mais belos da sua autoria.

Desejo-lhe plena recuperação dos seus olhos.

Beijos
Olinda

Lúcia Silva Poetisa do Sertão disse...

Muito linda, sensível, por isso toca tanto nosso coração!
Abraços afetuosos!

Ailime disse...

Bom dia Elvira,
Que poema tão belo!
Vou tentar ler mais poemas de Alda Lara, porque adorei o estilo.
Beijinhos
Ailime

Os olhares da Gracinha! disse...

Muito bela a sua escolha!
Gosto do poema... Bj

Isamar disse...

Olá Elvira,
Lindíssima poesia! Obrigada por, mais uma vez, nos dar a conhecer estas talentosas poetisas.
Espero que esteja bem.
Beijinhos

lua singular disse...

Oi Elvira
Desculpa o atraso, vou fazendo aos poucos, estou adoentada.
Muito bom gosto
Uma linda poesia que faz parte de uma triste História.
Gostei muito
Beijos no coração
Lua Songular

Roselia Bezerra disse...

Boa tarde de paz e saúde, querida amiga Elvira!
Uma poesia de recolhimento, pesar e empatia.
Tem tantos que se esquecem dos sacrifícios que fazemos... As amas davam tudo de si, embora falassem do que viviam.
E nós, os meninos brancos, nos esquecemos dos favores e carinhos doados... somos tão superficiais.
Linda partilha, amiga!
Tenha dias abençoados e na proteção do vírus cruel!
Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

HD disse...

Esqueceram o que de bom fizeram por eles... -.-
Abraço

Maria Rodrigues disse...

Sentido e belo poema.
Espero que esteja a recuperar bem.
Beijinhos

Megy Maia disse...

Querida Elvira.
Tudo o que é batucada faz - me abanar.
E neste momento sabe tão bem.
Dançar, cantar, gritar aos céus como é bom estar viva.
Um abraço cantante.
Megy Maia🌈

silvioafonso disse...

Elvira, meu amor. Vim beber da
tua água, mas acabei por lavar
a cara na pia da Alda Lara.
Um beijo a vocês duas(virtual)

Zilani Célia disse...

Oi Elvira!
Emocionante texto, gostei demais.
Abrçs amiga e força a todos nós pelo momento que ora passamos.

Manuel Veiga disse...

poema muito belo de Alda Lara.
de quem gosto muito

beijo, amiga

Marta Vinhais disse...

Não conhecia a poetisa...
Há histórias que não devem ser esquecidas... porque quem as contou, contou-as com amor e nunca devemos esquecer que isso é que nos ajuda a viver...
Obrigada pela partilha...
Obrigada pela visita.
Beijos e abraços
Marta

Ulisses de Carvalho disse...

Olá, Elvira! Não conhecia a poeta e gostei muito de conhecer um pouquinho do que ela escreveu, vou procurar por mais poemas. Um abraço.

lua singular disse...

Oi Elvira
A Historia da escravidão é a pior miséria da História do Brasil.
Muito triste!De outros países nada sei.
Beijos no coração
Lua Singular