Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

segunda-feira, 24 de abril de 2017

DIANA DE MOURA



          Oh Abril!

Abril deu-me asas
e convidou-me a ouvir
baladas diferentes
Segui-o,
segui-o a pensar
que hei-de sempre
aprender
se for para a frente
Segui-o com a convicção
do poder
me contentar
com o que ele me quiser
prendear
porque o ouro já possuo
no meu coração.
Oh Abril Esperança,
que me leva a aventurar
Em céus
com as cores do arco-iris
Oh Abril, que abres as portas
dos lares solitários
e invades os jardins
com risos infantis
Oh Abril
o sol também brilha
na cabeça do velhinho
que aspira a um cantinho
numa janela adornada
de manjericos
para seguir a memória longínqua
Oh Abril, a brisa também
suave suspira
no doente
que adormece
sob o olhar quente
duma alma carinhosa
que ainda e crente
Oh Abril
se possível fosse
dar-te a mão
e levar-te aos carentes
aos famintos
aos sedentos
e fazer nascer jardins
e fazer jorrar a água
das fontes ressequidas
pelo mau tempo
erigia-te um templo.


Diana de Moura, Halifax, Canadá


email: diana@portugal-linha.pt



Biografia. Encontrei vários trabalhos da autora, porém nenhuma biografia que vos possa deixar.


Bom Feriado

segunda-feira, 27 de março de 2017

CARLA RIBEIRO







Percorrer o teu corpo…


Hoje queria ser uma gota de água
Sair do chuveiro e percorrer o teu corpo
Sentir cada espaço do teu corpo como meu.
Recordar o cheiro da tua pele,
A suavidade sempre que lhe toco.
Hoje, hoje eu apenas queria,
Ser uma incessante gota de água.
Percorrer os teus cabelos,
Beijar os teus olhos,
Beijar os teus lábios.
Escorregar no teu queixo,
E seguir, pelo teu pescoço.
Queria escorregar,
E, sentir a pele suave,
Das tuas costas…
Massajar os teus ombros.
Seguir massajando as tuas costas.
Descer pelo teu peito,
E sentir a delícia do teu perfume…
Seguir beijando o teu corpo sem fim.
Hoje sou apenas uma gota de água,
Que quer acariciar o teu corpo.
Sentir cada arrepio teu…
Cada poro do teu corpo,
Desejar a minha passagem…
Hoje sou apenas uma gota de água.
Que vai beber do teu corpo.
Quero sentir o teu beijo…
Hoje quero apenas sentir….


Biografia AQUI

sábado, 18 de março de 2017

ALICE QUEIROZ


FIZ A CAMA DE AÇUCENAS

Fiz a cama de açucenas
Macias como o cetim
Os lençóis eram poemas
Guardados dentro de mim
Vesti rosas de toucar
Nos cabelos meti laços
Nem vi o dia chegar
Esquecida nos teus braços

No tapete feito de heras
Sulcado de margaridas
Floriam primaveras
A perfumar nossas vidas
Misturei flores e beijos
Num fio ao meu pescoço
Dei asas aos meus desejos
Loucuras dum sonho moço

Mudaram-se as estações
Murcharam as açucenas
Mas nos nossos corações
Nasceram novos poemas
Despi rosas desfiz laços
Guardei a minha saudade
Só presa nos teus abraços
Me sinto em liberdade

Alice Queiroz


Biografia. Não consegui encontrar na net, nenhuma biografia desta poetisa. 
Sei que tem alguns livros escritos, entre os quais "Jardim de Afectos". E que está no Facebook. AQUI

segunda-feira, 13 de março de 2017

CINCO LÁGRIMAS POR ALEPO


Quase meia centena de autores portugueses, juntaram-se para publicar um livro, cuja receita reverte integralmente para a UNICEF, a fim de minorar o sofrimento das crianças de Alepo.

Dele vos deixo um poema


Mil sóis, mil sorrisos

Os olhos rasos de mar
Sobre imagens transidas
De fome e sede e frio e medo.
E o medo, raízes,
Zinco ferro vidro,
A lâmina, a dor, o sangue,
E tudo o que em silêncio dizes.

A noite em que envelheço,
Apertando nos braços as sombras
Que reconheço
De crianças outrora felizes.

Encher cada lágrima imensa
De sementes de trigo e de paz.
E na terra árida da indiferença
Ver nascer sentença assaz
Que conceda aos campos lisos
Abertos, outra vez
Mil sóis
Mil sorrisos


Lídia Borges


Junto informação para quem queira adquirir o livro


ADQUIRIR O LIVRO
Dados para compra do livro “Cinco Lágrimas por Alepo” e envio por correio
a) Valor a transferir €13 (custo do livro €10 + correio €3)
b) Fazer a transferência para IBAN: PT50 0269 0346 00206260932 04;
c) Enviar o comprovativo por correio electrónico (agc@dep.uminho.pt) ou por mensagem, indicando o titular da conta de onde foi pago
d) Enviar a morada completa para envio por e-mail ou mensagem.
Obrigado.




quarta-feira, 8 de março de 2017

8 DE MARÇO - DIA INTERNACIONAL DA MULHER



MULHER


Mulher
Hoje como ontem, sonhas com o Amor
A liberdade, o respeito, a dignidade
O prazer e o orgulho de seres Mulher.
Mas hoje como ontem, és desprezada
Violada, espancada, vilipendiada
Mulher-rosa, é tua vida sem perfume
Espinhosa na profissão e no lar.
 Corpo e alma em chaga permanente.
E ainda assim mulher-mãe
Continuas a carregá-los no ventre,
E a realizares o milagre da Vida.




Elvira Carvalho

quinta-feira, 2 de março de 2017

JUDITH TEIXEIRA


MAIS BEIJOS


Devagar... 
outro beijo... ou ainda... 
O teu olhar, misterioso e lento, 
veio desgrenhar 
a cálida tempestade 
que me desvaira o pensamento! 

Mais beijos!... 
Deixa que eu, endoidecida, 
incendeie a tua boca 
e domine a tua vida! 

Sim, amor.. 
deixa que se alongue mais 
este momento breve!... 
— que o meu desejo subindo 
solte a rubra asa 
e nos leve! 

Judith Teixeira, in 'Antologia Poética' 

Biografia AQUI

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

MARIA AZENHA












 
era o som da água da noite

era o som da água da noite
entrava no quarto  e cantava
através
de uma voz ausente

ao longe era um sino e um aquário
- que segurava  entre mãos -
tão  alvo,
tão incandescente,
que derramava ouro  pelo chão

vinha  com um nome de água  numa ânfora azul 
descendo  um rio  lilás 
na agonia de um  relâmpago

e era um muro de luz onde  floriam sílabas exatas

atravessava  minha mão  cheia de sombras
num girassol verde

dentro de suas máscaras há um silêncio perfeito


maria azenha 
 



Biografia AQUI

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

DIA DE S. VALENTIM


Dizem que o mais importante, não é encontrar a pessoa certa, mas sim ser a pessoa certa. Não sei se eu serei a pessoa certa, mas sim eu encontrei a pessoa certa. Para ele, o meu obrigado. Hoje e em todos os dias da minha vida.

 OBRIGADO AMOR


Pelos teus
silêncios,
E pelos teus
beijos,
Pelo teu sorriso,
E pelo teu olhar.
Pelas noites
que
adormeci
nos teus braços.
Pelas lágrimas
que
com teus lábios
me secaste.

Obrigado amor

Por seres
o farol
das minhas
noites
de loucura.
O raio de sol
dos
meus dias
sombrios.
O porto seguro
onde
ancorei


Elvira Carvalho

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

MARÍLIA MIRANDA LOPES






As minhas mãos


Em concha as minhas mãos oferecem
o sabor da titânica

paisagem de ranchos
vindimadores numa estreita

dádiva
água criadora
serros montes encostas vales
terra lavrada

As brancas casarias avistam
o labutar dos membros
os rebanhos a chocalhar
ermas fora

O rio abre um sulco navegante
que se ergue em cachões difíceis
como estes braços

vergastando machos
que equilibram canastros
recalcados de uvas

onde poisam abelhas
pelo melaço.

(in “Castas” – Q de Vien Cadernos de A Porta Verde do Sétimo Andar)







Biografia AQUI

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

CIDÁLIA FERREIRA





 Silenciosamente vagueio

Silenciosamente vagueio,
Por entre caminhos sem fim,
Um olhar sobre o que não vejo,
Que docemente desejo,
Um beijo, e companhia,
Para um passeio à natureza…
Quero libertar esta ansiedade,
E as lágrimas, de saudade…
Ouço o cantar dos passarinhos,
O chilrear dos seus filhinhos,
Quando ramos abanam dançando,
O vento sopra em tom de melodia,
Vou andando, vou pensando,
Vou ao encontro, do sol,
Do ar puro, e do amor,
Vou gritar sozinha ao vento,
Pelo teu nome no momento,
São devaneios ou tormentos,
Com saudades daquele tempo,
Em que silenciosamente,
Fazíamos dos momentos,

O mais lindo sentimento!

Cidália Ferreira


Biografia:  A autora não tem, (ou se tem, eu não encontrei na net) uma biografia oficial.
Contudo a autora que já tem dois livros publicados, tem um blogue no qual publica com frequência os seus poemas.
 AQUI


quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

INÊS LEITÃO


A cada mulher o seu corpo ou o seu inferno



A cada mulher o seu corpo ou o seu inferno.

O corpo como instrumento.

O corpo como limite do eterno.

O corpo como instrumento e limite do eterno: o

                                       [corpo é o meu inferno].


O teu corpo a girar como roda do mundo

(a minha cabeça a raspar no chão)

A cada mulher o seu corpo.

A cada mulher o seu inferno.





A autora, mantem um blogue AQUI


Biografia AQUI




sábado, 21 de janeiro de 2017

MARIZE CASTRO



INTEIRA
Iluminada por oráculos
alimento anjos com asas quebradas.
Não é de vendaval que eu preciso
mas da língua do amor guardada à beira-mar.
Não entendo de círios
mas de verões e sargaços bailarinos.
Acolhida pela província,
arrisco-me a enlaçar orquídeas em árvores.
Sempre sofri.
Sempre tive febre.
Sempre estive inteira em todos os infernos.
Nunca quis ser abandonada.
Mas aprendi a perder.
O naufrágio me ensinou a ternura dos afogados.
Biografia AQUI

sábado, 14 de janeiro de 2017

ALCINA CAROLINA LEITE



    ALLELUIA

    Oh! Rainha dos Céos estremecida!...
    Formosa Estrella que ilumina a Vida!...
    Alegrai-vos Senhora! Bello e forte
    Eis que ressurge, vencedor da morte,
    — Aquelle que do céo, remir-vos veio
    E que trouxeste no amoroso seio!
    Glória nos altos céos! Paz e ventura
    Na Terra a toda humana creatura!
                       Alleluia!

    Cessa a tormenta: à noite escura e fria
    Sucede bello e radioso o dia;
    Acalma o rouco dos seus fulgores,
    Da primavera ao riso brotam flores...
    Cantai, ó Céos! Na Terra repercuta
    A voz celeste que Maria escuta:
                      Alleluia!

    Longa noite de enfermo agonisante,
    E que sente partir-se a cada instante,
    da vida o fio que lhe resta ainda,
    fora da Virgem a agonia infinda...
    Mas Elle vive, oh! mãe! alvorada,
    Vinde escutar-lhe a doce voz amada!
    .................................................................
    Vós que estendeis um coração materno,
    Soltai o brado de prazer eterno:
                       — Alleluia!

    Vencera o Mal: a luz formosa e clara
    Da treva o negro império se curvara;
    Pois morrera como um faccinoroso
    Da cruz pendente o — Todo Poderoso!...
    E emquanto exulta o Mal feroz, insano,
    Funda angústia lacera o peito humano...

    Mas Jesus traz-lhe, na ressurreição,
    — Vida, prazer e luz — a salvação!...
    ................................................................
    Alegrai-vos, Senhora; cesse  o pranto
    Aos sons divinos do celeste canto
                       — Alleluia!...

    Alcina Leite
    Da Revista:  "O Lyrio" nº 16,  fevereiro de 1904, Recife/PE

Atenção à escrita que não tem erros, porque este era o português do séc.XIX, princípio do sec.XX



Biografia AQUI




domingo, 8 de janeiro de 2017

CARMO VASCONCELOS










ACORDA, MULHER!

 Acorda, acorda, Mulher!
Donde vieste?...
Porque trouxeste contigo essa alma-sonho,
árvore, água, pássaro,
que te impede de viver?
Não vês que não consegues
caminhar com ela ao lado?
Que ela atropela os teus passos?...
Soterra essa predadora de utopia,
põe-lhe mordaça e algemas,
esconde-a ou mata-a, se necessário!
Depois, caminha sozinha,
finge que és apenas corpo,
só sensualidade e concupiscência,
e terás, enfim, o amor dos homens!
Ama-os como só tu sabes amá-los,
bebe-lhes o sangue e os desejos,
sacia-lhes a carne,
e jamais chorarás homem algum!
Pois só te restarão lágrimas
para chorar essa alma-sonho,
árvore, água, pássaro,

que tu própria assassinaste!

Carmo Vasconcelos


BIOGRAFIA AQUI


terça-feira, 3 de janeiro de 2017

GELLY FRITTA



-->
Teu mistério
Teu pensamento canta
Teu corpo dança
Teu olhar fala
Mas o teu coração cala.
teu olhar mexe
teu toque marca
teu silêncio fere
Mas o teu brilho cicatriza.
Tua nudez veste
Tua fantasia cobre
Teu orgasmo brilha
Mas o teu prazer ninguem possui.
Teu sorriso atenta
Tua sensatez, não sei
Tua estupidez, talvez
Pois todo o teu prazer... é mistério.

Biografia daqui

-->
Gelly Fritta (Angelita Gelly Ribeiro Gomes), nasceu em Ubatã, interior da Bahia (Brasil), em 1967.
Apaixonada por poesia desde criança, mudou-se para Brasília em 1990, em 2001 publicou o livro “Um Vulto na madrugada” e, em 2002, “Nua e Crua” um livro com alguns poemas eróticos. Participante do colectivo de poetas do Distrito Federal, Gelly Fritta participa de saraus onde explora os poetas que adora, entre eles Fernando Pessoa, Augusto dos Anjos e Drummond de Andrade.
Actualmente está a trabalhar num livro só de poemas eróticos sem data ainda para publicação.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...