Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

sábado, 2 de dezembro de 2017

AI QUEM ME DERA

Por favor cliquem na imagem para lero poema.
Bom fim de semana

12 comentários:

✿ chica disse...

Gostei de ler! Lindo poema! Ótimo fds! bjs,chica

Cidália Ferreira disse...

Simplesmente lindo!!

Beijo. Votos de um Sábado feliz.

lis disse...

Ah que bonito!
São desejos infantis que não voltam mais.Aquele tempo bom que nada nos abalava e indignava.Vamos reviver Elvira assim_escrevendo ,fotografando, fazendo o bem ao próximo e tirando o melhor desse mundo que se corrompeu doidamente, rs
Gostei da menina-boneca.
Um abraço,forte.

Ricardo- águialivre disse...

Se calhar já todos nós um dia pensámos que quem nos dera voltar a ser crianças em toda a acepção da palavra.
.
Cumprimentos e um abraço

Donetzka Cercck L. Alvarez disse...

Que poema lindo,Elvira!

Quantas vezes quero voltar também aos felizes tempos de menina!

Você tem todos os dons de Deus! E ainda escreve divinamente.Parabéns e que Deus a abençoe!

Beijos sabor carinho e um fim de semana de paz e alegrias

Donetzka

Tais Luso disse...

Ai quem me dera tudo isso, também, mas a gente cresce e passa a participar de tudo que não fizemos, que não participamos. Essas coisas da infância é que nos trazem saudades, não víamos o mundo como realmente era. E na verdade, a mim parecia bem melhor. Posso dizer que vi e vivi a mudança...
Beijo, um bom fim de semana, Elvira!

Janita disse...

Um bonito poema feito de saudade. Simples, sincero, saído de um coração de menina.
Gostei muito e fez-me lembrar da simplicidade das palavras que escrevi ontem.
Nada volta atrás, muito menos o tempo, mas ficam as saudades da ingenuidade perdida.

Um abraço, bom Domingo.

lua singular disse...

Oi Elvira
Ai quem me dera ser criança e comer as empadinhas da minha mãe. Hoje comi uma se não tivesse colocado pra fora teria morrido. Banha velha pura.Acordei agora.
Velhos tempos que não voltam mais.
Beijos
Lua Singular

Isamar disse...

Olá!
Adorei este poema, muito bonito! Parabéns!
Beijinhos,
Isabel

Emília Pinto disse...

Ainda bem que hoje vim aqui, Elvira! Deparo-me com um lindo poema teu, onde a ternura impera. Penso que haverá pouca gente que não gostasse de voltar a ser criança, altura em que acreditavamos que o mundo era um lugar maravilhoso e todo nosso. Fomos crescendo e essa " fé cega " de criança foi desaparecendo e a realdida foi - se mostrando cada vez mais cruel. Nāo adianta pensarmos muito nisso, mas faz -nos bem recordar momentos felizes dessa nossa criancice. Parabéns, Elvira pelo belo poema. Obrigads, amiga! Um beijinho
Emilia

Poções de Arte disse...

Bom mesmo seria carregar no coração, a pureza da infância. Seríamos adultos melhores, fazendo do mundo um lugar melhor.
A boneca me lembrou algumas que eu e as irmãs tínhamos quando criança.

Abraços esmagadores.

Olinda Melo disse...


Olá, Elvira

Também eu, minha amiga. Que bom seria voltar àqueles tempos despreocupados, feitos de brincadeira com os meus irmãos e ver o mundo através dos olhos da minha mãe.
Mas, o presente impõe-se...

Bj

Olinda

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...