Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

MARIA JOÃO CANTINHO

Os que caminham descalços



Os que caminham descalços
procuram a penumbra,
o fio de água pura
e a rara flor da montanha,
a nascente.

Os que caminham de olhos cerrados
vindos de longe,
marcados pelo relâmpago da loucura,
rasgam as roupas e renegam-se,
ajoelham no pó e descem ao poço,
cobrem-se de terra, em gesto
de melancolia acerada.

Os que caminham de rosto coberto
trazem o rosto em chaga
e no olhar a intacta ferida,
são os que procuram a salvação,
o olho único e a grande ave,
cruzando todos os céus
e os tempos da terra,
em acesa, secreta caligrafia.

Os que caminham e nunca chegam
peregrinos de um clarão sem nome,
sabem que o fruto se fecha em si
e que a vida é isto:

vela branca na escuridão.


  Maria João Cantinho


Biografia e outros poemas AQUI

domingo, 6 de janeiro de 2019

FELIZ DIA DE REIS



Termina oficialmente hoje, o interregno que a humanidade faz todos os anos, para fingir ser boazinha, para fingir preocupar-se com os deserdados da fortuna, para fingir que quer um mundo de paz, mais justo e mais solidário. 
Guardam, bem guardadas , a ambição, a usura, a corrupção, as armas, e fingem...fingem...fingem...
Amanhã, abrem-se as gavetas, onde foram guardadas, e volta a cavar-se o fosso entre aqueles que tudo têm e os que morrem à mingua, entre os que atacam e os que não têm como se defender, entre os ditadores e os oprimidos. Até Dezembro.
Nessa altura, volta o interregno. Até lá que cada um de nós viva o melhor possível. E já agora, que cada um de nós faça da sua parte o que possa para a mudança que todos desejamos.
Feliz dia para todos.

sábado, 29 de dezembro de 2018

TRAJE DE RÉVEILLON


TRAJE DE RÉVEILLON

O Novo Ano bate à porta
ansioso para saber
que cor desta vez eu usarei
para sua vinda e propostas receber.
Mal sabe ele que realmente importa
para mim agora
é o que com suas propostas farei.
Os sonhos vestiram-me de todas as cores,
a esperança deu um toque especial:
perfumou-me com os melhores odores
da ceia de Amor partilhada no Natal.
Não esqueci os adereços coloridos
para com graça e charme me enfeitar:
discernimento, paciência, tolerância,
alegria, lições das agruras vencidas
e muita fé para os olhos e coração iluminar.

Marilene Amaral Branquinho

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

FELIZ NATAL.





 Estamos a poucos dias do Natal. Todo o mundo anda atarefado com as últimas compras, as últimas prendas. É o bacalhau ou o polvo para a ceia, o peru ou o cabrito para o almoço, a prenda para o pai ou o avô que ficou para o fim.
E os presentes, alguém se lembra dos presentes? 
- Ora essa,- dirão vocês. Pois não estão lá já amontoados debaixo da árvore? 
E eu responderei. “ Não, Isso são as prendas” E não me olhem com essa cara de quem está a pensar, que estou caduca, já não sei o que digo. Porque presentes não são a mesma coisa que prendas. Presentes não têm preço, ao contrário das prendas que muitas vezes se compram com sacrifício e quantas vezes nem agradam a quem as recebe. Presentes não se  encontram nas lojas dos grandes centros comerciais. Nem tão pouco nas lojas de bairro. Presente é a mão amiga que se pousa em silêncio, num ombro entrecortado por soluços. Presente,  é o telefonema que alguém recebe, sem assunto, mas que quebrou a sua solidão e levou um pouco de alegria à sua vida. Presente, são os cinco minutos de atenção que alguém esquecido recebe, é o beijo que se dá sem ser esperado, um abraço que partilha a alegria e a dor. Presente, é o receber um gesto de amor sem ser mendigado.
E nem precisa ser Natal para sermos generosos e distribuir estes presentes. Afinal o Natal, pode e deve ser vivido durante o ano inteiro.
Um Santo e Feliz Natal, e que 2019 seja o melhor ano das vossas vidas.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...