Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

terça-feira, 28 de julho de 2009

HELGA MOREIRA





Apago cigarro após cigarro,
a chávena ainda quente do café,
e o corpo todo à escuta.
No sono entrevi o teu olhar e
ao visitar-te, excessivamente te beijei.
Entre temor, entre comas, os lugares
que habito são apenas pontos
de esquecimento e fuga.
Tenho medo, por vezes, de estar em casa,
outras, de sair, não sei o que me persegue
ou persigo, movo-me apenas
por entre odores, escombros, e aflita
com perigos indefiníveis.




Os dias todos assim, 1996,


Biografia


Nasceu na Guarda. Fez estudos de Física e começou a publicar poesia nos anos 80. Depois de uma pausa de 11 anos, volta a publicar com alguma regularidade a partir da segunda metade dos anos 90, propondo uma poesia muito pessoal onde se entrelaçam, com registos do quotidiano, a angústia, a emoção e o desejo.

Obras da autora

1978 Cantos do Silêncio
1980 Fogo Suspenso
1983 Quem não vier do sul
1985 Aromas
1996 Os Dias Todos Assim
2001 Um Fio de Noite
2002 Desrazões
2003 Tumulto
2006 Agora que falamos de morrer



fontes:
Wikipédia
O livro "Cem poemas portugueses"
http://www.arlindo-correia.com/141202.html


PARA OS AMIGOS QUE POR AQUI PASSEM. VOU ESTAR AUSENTE, JÁ QUE O PC VAI HOJE PARA A OFICINA, SEM DATA MARCADA PARA O REGRESSO.

9 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Muito bonita esta descrição de sentimentos de quem espera...
beijos

Valter Montani disse...

Olá minha querida,

parabéns pela escolha do texto, obrigado por sua visita e comentário.
Sobre o pedido de amizade no Blog é que no Blogblogs tem essa possibilidade. Mas eu sei bem que já é minha amiga apesar da distância e do oceano que nos separa. Não há obstáculo que não permita o encontro de almas amigas. bjs

Rúbida Rosa disse...

Gosto dessa literatura intimista. Penso que ela tira um pouco o autor daquele "pedestal" imaginário, como se fosse alguém que cria sobre o universo e não sob ele. O leitor se identifica, ouve a voz do poeta na sua e deixa de sentir-se só.
Bjos

Menina do Rio disse...

Um texto que pode representar apenas um m omento, ou uma eternidade...


Confesso que ando meio relápsa em relação as visitas, mas ando com alguns probleminhas, inclusive de saúde que me impedem de estar entre vós.

Deixo-te um beijo na alma

Isamar disse...

Uma poetisa que não conhecia mas de cujo poema gostei muito.

" Os dias todos assim"

Beijinhos

Bem-hajas!

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

A amizade é assim:
É sentir o carinho,
É ouvir o chamado.
É saber o momento
de ficar calado.
Amizade é somar
alegrias, dividir tristeza.
É respeitar o espaço,
silenciar o segredo.
È a certeza
da mão estentida.
A cumplicidade que
não se explica,
Apenas vive!

¨Olavio Roberto¨
Desejo um lindo final de semana
Abraços

Fatima disse...

Tudo de bom Elvira. Que o "menino" volte depressa....

pin gente disse...

os medos... por vezes tantos, outras tão poucos!

que a data do regresso seja próxima, elvira!
um beijo
luísa

DE-PROPOSITO disse...

Apago cigarro após cigarro,
---------------
O tabaço, uma invenção do ser humano.
Fica bem.
E a felicidade por aí.
Manuel

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...