Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

MARIA JOSÉ AREAL



Não pensem que...


Não pensem que vou desistir da vida,
Só porque os dias me açoitam
E as noites me agitam.


Não pensem que vou desistir da vida,
Só porque lá fora o mundo se atropela
E agente anda aturdida.


Não pensem que vou desistir da vida,
Só porque em Agosto choveu
E o mar estremeceu.


Não pensem que vou desistir da vida,
Só porque os olhos do vento
Se esbugalharam contra os meus.


Não pensem que vou desistir da vida,
Só porque o Gaio deixou de cantar
E a seara não deu trigo maduro.


Não pensem que vou desistir da vida,
Só porque ser amigo demora
E as palavras deixaram de ser sentidas.


Não pensem que vou desistir da vida,
Só porque desacreditaram os poetas
E esqueceram as laranjas da madrugada.


Não pensem que vou desistir da vida,
Só porque uma árvore morreu queimada
E a rosa murchou no umbral da tua casa.


Não pensem que vou desistir da vida.
Não pensem que vou desistir da vida.
Sobra-me o espanto e tanto atrevimento.



Maria José Areal



Biografia
Nasceu em 13 de Fevereiro de 1951, na freguesia de Cristelo-Covo, concelho de Valença, de onde saiu , como emigrante, para os E.U.A. no ano de 1967, regressando dois anos depois, para reiniciar os seus estudos no Colégio de Nossa Senhora de Fátima, em Valença.
No ano de 1975 concluiu o Curso do Magistério Primário, iniciando as suas funções docentes na Telescola de Riba de Mouro-Monção.
Entre o ano de 1978 1 1985, integrou o Projecto “Educação Física e Desporto Escolar” nas escolas do 1º Ciclo dos concelhos de Vila Nova de Cerveira e Valença, considerando um dos momentos altos, em termos de aprendizagem, na sua carreira.
No ano de 1986 matriculasse na Universidade Portucalense, concluindo a Licenciatura em Ciências Históricas, no ano de 1990.
Passa pela Universidade do Minho, onde conclui a parte curricular do mestrado em Demografia Histórica, encontrando-se no ano de 1999 a frequentar o Doutoramento na Universidade de Santiago de Compostela na Galiza.
Desde a ano de 1995 até 2007 foi Directora do centro de Formação de Professores de caminha e Vila Nova de Cerveira.
Actualmente é docente voluntária na Universidade sénior de Cerveira, nas disciplinas de Expressão Corporal e História da Oralidade: e é também voluntária na biblioteca de Cerveira onde "dirije" um clube de Leitura.
Casada com o Arqº. Jaime Areal e mãe do Luís Carlos, reparte o seu tempo nas coisas da vida. A dança e a poesia são o seu vínculo mais real ao universo da fantasia.

Obras da autora

Pedaços de Mim - Maio 1999
À Deriva - Fevereiro 2004
Sabor a Sal e a Mel – Maio de 2006
Pedaços de Memória - Itinerâncias no tempo e no espaço". Composta por 27 histórias verdadeiras, de 7 autores, (grupo de alunos da História da Oralidade) sobre a sua coordenação.



Biografia cedida por um familiar da autora.

7 comentários:

lua prateada disse...

Ainnda bem amiga nunca podemos desistir da vida por mais fracassos e desilusões, por mais sofrimento e tréguas nos apareçam haveremos sempre de vencer tudo isso.
Beijinho prateado

SOL

Fernanda disse...

Amiga Elvira,
Ficou lindo...adoro o poema que naturalmente conheço bem e a apresentação está fabulosa.

Vou mandar o link à Zé que já está cá, ela vai ficar super feliz.

Parabéns pelo seu magnífico trabalho.

Beijinho da amiga


PS. Volte ao Rau, que eu vou adicionar mais uma foto que localiza aquele Paraíso, como diz e bem.

Sonia Schmorantz disse...

Boa semana !!
Repartir suas alegrias
é como espalhar perfumes sobre os outros:
sempre algumas gotas
acabam caindo sobre você mesmo!
abraço

Fernanda disse...

Amiga Elvira,

A Zé Areal enviou-me o seguimte e-mail. Sei que parece estranho, mas ela não é nada de Blogs e é muito provável que tenha alguma dificuldade em comentar.
Assim aqui vai...

"Sabes que te autorguei tomares conta de mim....
Obrigada pelo trabalho e por teres escolhido uma das poesias que mais gosto.

Depois de consultar o que escreveste, queria que soubesses que a minha reforma não é por motivos de saúde. Tive a sorte de no ano de 1984 ter 14 anos de serviço.. como estava previsto na lei.

Acrescentando ao meu curriculum, poderás dizer que actualmente sou docente voluntária na Universidade sénior de Cerveira, nas disciplinas de Expressão Corporal e História da Oralidade: sou também voluntária na bilioteca de Cerveira onde "dirijo" um clube de Leitura.

Mais uma obra públicada " Pedaços de Memória - Itinerâncias no tempo e no espaço". Composta por 27 histórias verdadeiras, de 7 autores, (grupo de alunos da Histórria da Oralidade) sobre a minha coordenação.

Não é para alterar nada, é tão sómente para que tenhas conhecimento.

Um abraço e mais uma vez obrigada.

P.S Aproveito para te convidar: Sábado dia 5 de Set. o Centro de Cultura de Campos vai realizar uma noite cultural. Exposição de fotografoia, Colóquio sobre "Rejuvenescimento e sáude" a cargo do Dr.
Luís Romariz do Intituto médico Newage e um concerto de piano e violino.
Gostava de te ver por cá e traz quem tu entenderes. A entrada é livre.

Beijo,

Zé Areal.

Fernanda disse...

Amiga Elvira,

Está perfeito.

Obrigada em meu nome e em nome da Zé Areal.

Ela ficou de passar por cá para eu lhe dar uma ajudinha a entrar nestas coisas dos Blogues.

Beijinhos

Deusa Odoyá disse...

Querida amiga Elvira.
Na vida sempre existirá fracassos, desilusões, mas nunca deixe seu obscuro falar mas alto.
Prossiga em frente sempre a olhar a luz da esperança.
Amiga mais um lindo poema exposto.
Parabéns por esse belo trabalho.
Beijinhos doces da amiga.
Regina coeli.

Emanuel disse...

A Maria José Areal, ´para além de ser uma excelente pessoa, é uma grande poetiza. Parabéns do Nelinho, da Anita, de Fafe.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...