Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

ALFONSINA STORNI

Monumento a Alfonsina Storni

Diante do mar

Tradução de José Agostinho Baptista


Oh, mar, enorme mar, coração feroz
de ritmo desigual, coração mau,
eu sou mais tenra que esse pobre pau
que, prisioneiro, apodrece nas tuas vagas.

Oh, mar, dá-me a tua cólera tremenda,
eu passei a vida a perdoar,
porque entendia, mar, eu me fui dando:
"Piedade, piedade para o que mais ofenda".

Vulgaridade, vulgaridade que me acossa.
Ah, compraram-me a cidade e o homem.
Faz-me ter a tua cólera sem nome:
já me cansa esta missão de rosa.

Vês o vulgar? Esse vulgar faz-me pena,
falta-me o ar e onde falta fico.
Quem me dera não compreender, mas não posso:
é a vulgaridade que me envenena.

Empobreci porque entender aflige,
empobreci porque entender sufoca,
abençoada seja a força da rocha!
Eu tenho o coração como a espuma.


Mar, eu sonhava ser como tu és,
além nas tardes em que a minha vida
sob as horas cálidas se abria...
Ah, eu sonhava ser como tu és.

Olha para mim, aqui, pequena, miserável,
com toda a dor que me vence, com o sonho todos;
mar, dá-me, dá-me o inefável empenho
de tornar-me soberba, inacessível.

Dá-me o teu sal, o teu iodo, a tua ferocidade,
Ar do mar!... Oh, tempestade! Oh, enfado!
Pobre de mim, sou um recife
E morro, mar, sucumbo na minha pobreza.

E a minha alma é como o mar, é isso,
ah, a cidade apodrece-a engana-a;
pequena vida que dor provoca,
quem me dera libertar-me do seu peso!

Que voe o meu empenho, que voe a minha esperança...
A minha vida deve ter sido horrível,
deve ter sido uma artéria incontível
e é apenas cicatriz que sempre dói.


Alfonsina Storni

Biografia

Nascida na Suiça, emigrou com os seus pais para a província de San Juan, na Argentina em 1896, Em1901, muda-se para Rosário, (Santa Fé), onde tem uma vida com muitas dificuldades financeiras. Trabalhou para o sustento da família como costureira, operária,atriz e professora.
Descobre-se portadora de cancro no seio em 1935. O suicídio de um amigo, o também escritor Horácio Quiroga, em 1937, abala-a profundamente.
Em 1938, três dias antes de se suicidar, envia de um hotel de Mar del Plata para um jornal, o soneto “Voy a Dormir”. Consta que suicidou-se andando para dentro do mar — o que foi poeticamente registrado na canção "Alfonsina y el mar", gravada por
ercedes Sosa; seu corpo foi resgatado do oceano no dia 25 de Outubro de 1938. Alfonsina tinha 46 anos.

texto retirado da net

Nesta página encontrará uma biografia completa , bem como alguns poemas:
http://www.cervantesvirtual.com/bib_autor/Alfonsina/

11 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Gosto muito dos poemas de Alfonsina, mas conheço poucos dela. Muito bonito esse.
Um abraço e boa semana

Nuno de Sousa disse...

Mais um belo momento aqui colocado de mais um artista nas palavras, belo poema, e arte na escrita e assim vais divulgando o que bem gosras de dar a conehcer.
Bjs amiga tem uma boa noite,
Nuno

Liz / Falando de tudo! disse...

a imagem é linda e inspiradora, e uma historia de vida que faz a gente valorizar a vida!
obrigada pelas visitas no meu cantinho.

Cata-Vento disse...

Um poema arrebatador cujo tema é uma grande paixão na minha vida.Não viveria sem esta grande força da Natureza que um dia será meu leito eterno.

Beijinhos mil

Bem-hajas!

Maria Clarinda disse...

Adorei a partilha!!!Obrigada por ela!!!Jinhos muitoooos

Serena Flor disse...

Bom dia minha amiga, passando pra dizer que tem um selinho pro teu blog ok?
Se quiser e quando puder pegue-o na galeria de selos na barra lateral do meu blog.
Um grande beijo e um grande dia pra ti.
E como estão teus pais? Espero que bem...bjs.

DE-PROPOSITO disse...

Um nome que não me é totalmente desconhecido. No entanto não conhecia qualquer poema de Alfonsina.
fica bem.
Felicidades.
Manuel

Sonia Regly disse...

Elvira,
Adoro suas visitinhas e comentários. Obrigada por me honrar com suas visitinhas.Beijão


Alfonsina escreve maravilhosamente bem, vc fez um apanhado de sua história, muito bom.

gaivota disse...

um poema cheio de garra de uma mulher sanjuanina! sabes como adoro a argentina, buenos aires, san juan (que conheço muito bem)
y se fué a dormir, en la mar de la plata...
beijinhos

Menina do Rio disse...

Elvira, não conheca nada de Alfonsina, mas este poema mostra a força de uma grande poetisa!
Deixo-te um beijo e que tua semana seja perfeita!

日月神教-任我行 disse...

AV,無碼,a片免費看,自拍貼圖,伊莉,微風論壇,成人聊天室,成人電影,成人文學,成人貼圖區,成人網站,一葉情貼圖片區,色情漫畫,言情小說,情色論壇,臺灣情色網,色情影片,色情,成人影城,080視訊聊天室,a片,A漫,h漫,麗的色遊戲,同志色教館,AV女優,SEX,咆哮小老鼠,85cc免費影片,正妹牆,ut聊天室,豆豆聊天室,聊天室,情色小說,aio,成人,微風成人,做愛,成人貼圖,18成人,嘟嘟成人網,aio交友愛情館,情色文學,色情小說,色情網站,情色,A片下載,嘟嘟情人色網,成人影片,成人圖片,成人文章,成人小說,成人漫畫,視訊聊天室,性愛,性感影片,正妹,聊天室,情色論壇

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...