Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

Seguidores

domingo, 10 de janeiro de 2021

PAULA GLENADEL



Corcéis


controlar os corcéis
da alma,
desembestados,
com mão segura
como o lastro do navio,
seu peso em areia, em ouro:

o medo dá asa a cobra
cria monstros na sombra
viaja nos desvãos
estremece os alicerces
uiva sussurrando ruínas


- Paula Glenadel, em "Quase uma arte". São Paulo: Cosac & Naify | Rio de Janeiro: Viveiros de Castro Editora, 2005.


Biografia e outros poemas AQUI

10 comentários:

" R y k @ r d o " disse...

Amei ler.
.
Feliz fim de semana

Os olhares da Gracinha! disse...

Também gosto!!! 👍👏

Pedro Luso disse...

Não conhecia Paula Glenadel, poetisa de grande talento.
Gostei muito do poema de sua escolha para a partilha.
Um bom final de semana, com esperança e saúde.
Um abraço.

Gracita disse...

Absorvi com com prazer cada verso do belo poema
Um maravilhoso fim de semana Elvira
Beijinhos

Fê blue bird disse...

Um poema intenso, que retrata bem os nossos medos.
Gostei bastante e vou pesquisar mais sobre a autora.

Um beijinho e boa semana amiga Elvira

Cidália Ferreira disse...

Gostei!:)
--
Um frio glacial. Uma lareira acesa, e dois dedos de prosa
*
Beijo e uma noite feliz.

Graça Pires disse...

Gostei de ler esta autora que não conhecia. Tem uma escrita literária muito cuidada e forte. Obrigada por partilhar.
Uma boa semana com muita saúde.
Um beijo.

Graça Pires disse...

Obrigada por mostrar interesse em adquirir o meu livro. No lado direito do meu blog tem a capa do livro. Se clicar em cima, vai ter à loja online do editor. Se não quiser assim, diga-me que arranjo outra forma.
Um beijo.

HD disse...

O medo não pode tomar conta das rédeas da nossa vida... :-)
Um bom ano com muita saúde!
Abraço

MARILENE disse...

Domar os corcéis da alma exige algo mais que mãos seguras. Poema muito belo, nos trouxe. Vou ler mais sobre a autora. Bjs.