Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

Seguidores

sábado, 8 de fevereiro de 2020

DALILA MOURA

Entre nós e o infinito

Amamo-nos assim
entre as palavras e a melodia.
Entre o espasmo dos dias
e a brancura da noite.
Soltam-se os fios de luar e tecemos
a cama e o fogo.
Incendiamos as horas – num único momento –
E toda a labareda alastra como furacão
com olho no mar.
Um barco. Um cais deserto.
Duas mãos que remam num toque de sal
que escorrega no corpo e no silêncio.
As palavras não fazem falta.
A ausência é o local onde nos encontramos.
O verde propaga-se entre os olhos e os limos.
Tudo é mar! Toda a nudez se veste de espuma.
E carícia.
Amamo-nos assim: entre o mel e o silêncio.
Entre nós e o infinito.


Dalila Moura
Dalila Moura, já  é repetente neste blog. AQUI  podem ler a sua biografia.

15 comentários:

Roselia Bezerra disse...

"A nudez se vestindo de espuma".
Lindo!

Boa tarde de sábado, querida amiga Elvira!
Uma poesia bem cheia de sensualidade e , tendo o mar como fonte de inspiração, ainda mais bonita é.
Tenha um final de semana abençoado e feliz!
Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

Megy Maia disse...

Que palavras tocantes e descritivas de um amor.
Vivido na presença de um mar espumante.
Sorrisos salgados.
Megy Maia

chica disse...

Entre o mel e o silêncio tanto acontece... Linda poesia! bjs, ótimo fds! chica

Majo Dutra disse...

Poesia de criativas e singulares imagens levemente surrealistas...
BELO!
Boa semana, Elvira.
Abraços
~~~~

Os olhares da Gracinha! disse...

Vou conhecer!
Gosto do poema... Bj

Isamar disse...

Olá Elvira,
Não conhecia esta Poetisa, obrigada pela partilha.
Poema muito bem escrito, romântico q.b.!
Boa semana, beijinhos!

Olinda Melo disse...


Olá, Elvira

Belo poema de amor.
Dalila Moura, um nome a reter.

Beijo

Olinda

Marta Vinhais disse...

Um poema de amor cheio de silêncios que falam alto e escorrem como mel pelos corpos....
Lindo...
Obrigada pela partilha e pela visita
Beijos e abraços
Marta

R's Rue disse...

Love

lua singular disse...

Elvira,
Que poesia linda!
Parabéns pelo belo presente
Beijos
Lua Singular

Ana Tapadas disse...

Traz-nos belíssimos poemas líricos, no feminino! Grata.
Beijinho

Micaela Santos disse...

Li todo o poema e quando cheguei ao fim senti que tinha viajado entre o mel e o silencio da brancura da noite!

Muito bom!
Beijinhos

silvioafonso disse...

Dalila, que gostosos são seus versos...
Senti até o cheiro da maresia.
Elvira, um beijo e obrigado pelo arranjo
das letras em forma de poesia.

Marina Filgueira disse...

Bellísimo poema donde reina la metáfora profunda que da para una reflexión.

Gracias por presentárnoslo.
Un abrazo y bendiciones.

Mar Arável disse...

Um poema que respira por guelras
num abraço de limos