Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

segunda-feira, 23 de maio de 2016

VIRGÍNIA VITORINO

Quando te vi

A manhã era clara, refulgente.
Uma manhã dourada. Tu passaste.
Abriu mais uma flor em cada haste.
Teve mais brilho o sol, fez-se mais quente.

E eu inundei-me dessa luz ardente.
Depois não sei mais nada. Olhei... Olhaste...
E nunca mais te vi. . . - Raro contraste! –
A madrugada transformou-se em poente.

Luz que nasceu e apenas cintilou!
Deixou-me triste assim que se apagou,
às vezes fecho os olhos; vejo-a ainda...

E há tanto sol dourando esses trigais!
Olhaste, olhei, fugiste... Ai, nunca mais,
nunca mais tive outra manhã tão linda!



Biografia  AQUI

3 comentários:

✿ chica disse...

Poesia linda, recordações de uma bela manhã!bjs, tudo de bom,chica

Cidália Ferreira disse...

Fantástico! Adorei.


Beijinhos e um dia feliz..

Coisas de Uma Vida 172

Maria Rodrigues disse...

Lembrança de uma manhã muito especial.
Gosto muito de ler Virgínia Vitorino.
Beijinhos
Maria

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...