Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

MANUELA BARROSO





Foto da net


NESTE INVERNO


Neste Inverno de macios cabelos de linho
cantarei na embriaguez da alegria
a fertilidade da aurora em silêncios de madrugada.
Iluminarei o carvão da noite com a luz de violinos de fogo,
tocando cândidas flores no lirismo das minhas tardes.
E
Derramarei fogos de incandescentes transparências
em ardentes pétalas de luz bordadas em coroas de músicas
que preencham corações vazios.
Porque enquanto há vida, haverá primaveras
de pólen colorido nas ogivas luminosas do dia
e no lago quieto da noite.
Farei nascer sorrisos em corolas de crianças felizes
com eternidades de alegria nos dedos macios,
segurando pétalas meninas em relâmpagos de mulher,
que afaga em braços maternos, dores invisíveis
de farrapos humanos!
E olho os trapos da humanidade em candeeiros noturnos
e perco-me no infinito de mim.
E descerão estrelas,
flutuarei com elas!
Quero acreditar neste meu céu onde se acalma o silêncio do dia
envolto em magia
porque enquanto há vida tudo se alumia
nas trevas do tempo que libertará solidões
como tempestades de vento.
Neste sono da vida que dorme, desperto com o ruído das fontes.
Deitar-se-à a liberdade no poente calmo dos extensos vales,
no cume vazio dos montes!
No horizonte que persigo na solidão do silêncio das gentes
mudas, presentes
tão quietas, ausentes!
Mas enquanto houver vida, meu irmão, minha amiga,
não me dou por vencida.
Rasgarei cortinas com punhais de fogo
em velocidades inquietas, em ansiedades de esperança.
E vibrarão vendavais de música,
em sorrisos de criança.
Em teclas de amor
tocarei hinos de redenção
e farei desta sonata
orquestras de prata,
para ti, meu irmão!
Porque sempre haverá vida!
Assim.
Também
em mim!

Manuela Barroso



Biografia.
Descobri há pouco tempo esta poetisa. AQUI poderão encontrá-la. Espero que vos agrade tanto quanto a mim.

11 comentários:

manuela barroso disse...

Minha querida amiga,
A primeira impressão foi que estava a ler um escrito (é assim que eu chamo à concretização do meu pensamento ...) metade de mim...
Depois...fiquei lendo e os olhos acompanharam o que o coração sentiu:emoção.
Muito obrigada Elvira. Sinal que alguém pensa como eu. Que sente como eu. Mas eu não sou poetisa, não! Eu só me limito a escrever o que sinto! Nada mais! Mas fico feliz, porque lhe tocou a mensagem que quis passar. E a sua sensibilidade enorme não ficou indiferente!
Obrigada pelo carinho!
Terno abraço!

Evanir disse...

Nada nessa vida se perde, nada é o acaso,
mesmo que sementes de fé e amor sejam jogadas em solo árido como o do deserto,
na hora propícia o vento as levará para terra fértil,
em algum oásis irão brotar, como João Batista,
que pregou no deserto, mas suas palavras foram para oásis seguros,
apenas aqueles que além de áridos também estavam impregnados pelas ervas daninhas
que sufocaram as suas sementes e usaram de seu poder para calar a sua voz.
Por isto acredito que sempre valerá a pena, a luta nunca será em vão.
Luconi...
Deus abençoe seu carinho comigo
Um lindo final de semana beijos e carinhos meus.
Evanir..

Sonhadora disse...

Minha querida

Um texto escrito com a alma...adoro ler a Manuela...ela consegue dar às palavras uma profundidade que entra na nossa alma.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Olinda Melo disse...

nestas palavras cheias de amor encontro um projecto de vida glorioso.enquanto houver vida porque sempre haverá vida se nos amarmos assim.

bj

olinda

Fernanda disse...

Amiga Elvira,

Obrigada pelas palavras à Maria José, que sei muito admirar.
Ela tem estado muito ocupada com mais um publicação e adoentada, embora nada a impeça de continuar a vida com toda a sua força e coragem, só mesmo ela...

Julgo não conhecer a Manuela Barroso, mas vou tentar saber mais dela, pois adorei o poema aqui publicado.

Beijinho

Maria disse...

Uma mensagem de amor e carinho, escrita com alma e coração. Lembro-me de um amigo que sabia estar quase a falecer devido à um cancro terrível, ter dito para a filha "enquanto estiver no teu coração, estarei sempre vivo", o amor quando verdadeiro é eterno.
Beijinhos
Maria

LUZ disse...

Bom dia Elvira,

Grata pelo seu comentário.
Tem vários blogues, uns mais actualizados, que outros, mas este tem poesia, e portanto, fiquei "presa" aqui.
Este poema é muito rico em todos os aspectos.
Não conhecia a escrita desta poetisa.
Parabéns a ambas.

Quanto ao facto de termos de digitar duas palavras, não sei se é do Blogger, ou não.
De qualquer maneira é complicado, porque eu, sem óculos, só acerto para ai à 5/6ª vez.
Mas há blogues onde isto não acontece. Tenho de perguntar a algum desses. Mas, eu não percebo nada de Internet.

Bom Domingo.
Abraços de luz.

LUZ disse...

Olá Elvira,

Eu, de novo.
Bom, já fiz os passos, que me indicou. Desde já muito obrigada.
Agora, falta testar.

Bom Domingo e boa semana.

Beijos da Luz.

LUZ disse...

Olá Elvira,

Agradeço o teste.
Então tudo em ordem. Já colocámos na rua as palavras, óptimo.
Você é "engraçada" e decidida.
Obrigada

Beijos da Luz.

blog da Paraguassu disse...

Olá Elvira,
Lindo, belíssimo poema de Manuela Barroso. Encantei-me ao lê-lo.
Parabéns pela postagem, querida!
Quero convidá-la a conhecer meu novo blog, o RECANTO DA POESIA, onde publico alguns de meus trabalhos literários.
Ficarei muito feliz e honrada com sua presença por lá. Espero que gostes.
Um grande beijo, amiga.
Maria Paraguassu.

LUZ disse...

Boa tarde Elvira,

Como está?
Estive, aqui, lendo alguns poemas no seu blogue, e, como estou de férias até amanhã, quero desejar-lhe um dia feliz, que já vai a meio, e um resto de boa semana.
Estive a ver as fotografias, que faz, e gostei, só que, nem sempre se lembra, onde foram feitas. Acontece, quando fazemos muitas.

Um beijinho para si, com estima e apreço.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...