Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

terça-feira, 26 de agosto de 2008

GILKA MACHADO



foto da net

Lépida e leve


Lépida e leve
em teu labor que, de expressões à míngua,
O verso não descreve...
Lépida e leve,
guardas, ó língua, em seu labor,
gostos de afagos de sabor.


És tão mansa e macia,
que teu nome a ti mesmo acaricia,
que teu nome por ti roça, flexuosamente,
como rítmica serpente,
e se faz menos rudo,
o vocábulo, ao teu contacto de veludo.


Dominadora do desejo humano,
estatuária da palavra,
ódio, paixão, mentira, desengano,
por ti que incêndio no Universo lavra!...
És o réptil que voa,
o divino pecado
que as asas musicais, às vezes, solta, à toa,
e que a Terra povoa e despovoa,
quando é de seu agrado.


Sol dos ouvidos, sabiá do tato,
ó língua-idéia, ó língua-sensação,
em que olvido insensato,
em que tolo recato,
te hão deixado o louvor, a exaltação!


— Tu que irradiar pudeste os mais formosos poemas!
— Tu que orquestrar soubeste as carícias supremas!
Dás corpo ao beijo, dás antera à boca, és um tateio de
alucinação,
és o elástico da alma... Ó minha louca
língua, do meu Amor penetra a boca,
passa-lhe em todo senso tua mão,
enche-o de mim, deixa-me oca...
— Tenho certeza, minha louca,
de lhe dar a morder em ti meu coração!...


Língua do meu Amor velosa e doce,
que me convences de que sou frase,
que me contornas, que me veste quase,
como se o corpo meu de ti vindo me fosse.
Língua que me cativas, que me enleias
os surtos de ave estranha,
em linhas longas de invisíveis teias,
de que és, há tanto, habilidosa aranha...


Língua-lâmina, língua-labareda,
língua-linfa, coleando, em deslizes de seda...
Força inféria e divina
faz com que o bem e o mal resumas,
língua-cáustica, língua-cocaína,
língua de mel, língua de plumas?...


Amo-te as sugestões gloriosas e funestas,
amo-te como todas as mulheres
te amam, ó língua-lama, ó língua-resplendor,
pela carne de som que à idéia emprestas
e pelas frases mudas que proferes
nos silêncios de Amor!...


Gilka da Costa de Melo Machado nasceu no Rio de Janeiro (RJ) no dia 12 de março de 1893. Casou-se com o poeta Rodolfo de Melo Machado em 1910. Teve dois filhos: Helio e Eros. O marido, Rodolfo, faleceu em 1923. Seu primeiro livro de poesia, “Cristais Partidos”, foi publicado em 1915. Em 1916 foi publicada sua conferência “A Revelação dos Perfumes", no Rio de Janeiro. Em 1917 publicou “Estados de Alma” e, em seguida, no ano de 1918, “Poesias, 1915/1917”, “Mulher Nua”, em 1922, “O Grande Amor”, “Meu Glorioso Pecado”, em 1928, e “Carne e Alma”, em 1931. Em 1932, foi publicada em Cochabamba, Bolívia, a antologia “Sonetos y Poemas de Gilka Machado”, com prefácio Antonio Capdeville. No ano seguinte, a escritora foi eleita "a maior poetisa do Brasil", por concurso da revista "O Malho", do Rio de Janeiro. “Sublimação” foi publicada em 1938, “Meu Rosto” em 1947, “Velha Poesia” em 1968 e suas “Poesias Completas” editadas em 1978. Em 1979, foi agraciada com o prêmio Machado de Assis pela Academia Brasileira de Letras. Nesse mesmo ano a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro prestou homenagem à mulher brasileira na pessoa da poeta. Escreveu versos, sendo simbolista, considerados escandalosos no começo do século XX, por seu marcante erotismo. Faleceu no Rio de Janeiro (RJ), no dia 11 de dezembro de 1980.

Biografia retirada da net.

9 comentários:

Coragem disse...

Que calma maravilhosa, se sente neste espaço.
Lê-se boa poesia, escta-se musica, que já poucos ouvem.
Num misto que, apetece voltar.

beijo e agradeço a visita ao meu espaço

São disse...

Mais uma escritora que lhe agradeço ter-me ensinado, linda.
Um beijinho.

Alfazema Azul disse...

Não conhecia esta escritora. Bem hajas, por tê-la trazido até este espaço. A música é lindíssima.

Beijinhos

SADY FOLCH DE CARDONA disse...

Que linda performance encontrei nestas palavras.
Esta é de fato uma página para se beber inspiração.
Abraços meus
Sady

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Elvira, não conhecia esta escritora e adorei ler tudo o que escreves-te... Magnífico poema e texto... Beijinhhos de ternura,
Fernandinha

Menina do Rio disse...

Temos uma avenida em homenagem a Gilka Machado. Uma grande mulher!

Querida, vou responder teus comentarios por aqui. Ando meio sem tempo e por isso estou mantendo atualizado apenas um dos blogs. O de fotos vai ficar aguardando pra qd tiver fotos que queira mesmo postar e os outros, só Deus sabe. Vivo numa correria que mal da tempo de retribuir as visitas que recebo dos meus amigos tão queridos.

Deixo-te um beijo e desejo que teu final de semana seja maravilhoso!
Obrigada pelo teu carinho

São disse...

Não consegui entrar no Sexta, não sei a razão.
Espero que tudo esteja correndo como sua vontade.
Um grande abraço.

Susete Evaristo disse...

Olá Elvira obrigada pela visita, somos moças do mesmo tempo (60 anos) e com o mesmo gosto por poesia. Vou percorrer estas tuas páginas com muito interesse.
Um abraço

mundo azul disse...

Apesar de não apreciar muito os poemas longos, esse está muito bonito!

Beijos de luz e todo o meu carinho...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...